top of page

MINISTRO DOS TRANSPORTES - RENAN FILHO

“O HOMEM NO PALCO”

A expressão de Winston Churchill, que Rodovias&Vias aqui empresta como título, lembra que os holofotes dos desafios, quando incidem sobre os gestores públicos, dão à estes a oportunidade de tornarem-se verdadeiros homens de Estado. Nesta edição: Renan Filho, Ministro dos Transportes.



Mais jovem governador da história alagoana, o ex-prefeito de Murici, e ex-deputado Federal por Alagoas (recordista de votos quando de sua eleição em 2010, um feito comum em sua carreira política), o atual ministro dos Transportes apontado pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o economista Renan Filho, tem diante de si, provavelmente o mais desafiador propósito em toda sua atuação até o momento.


Literalmente, uma tarefa do tamanho do Brasil, e em uma área carente, com décadas de defasagem e um triste histórico de seguidas administrações Federais que falharam em mensurar, obter e alocar (ou tudo isso junto), corretamente os montantes necessários, considerando uma pasta tão importante como a que ele ora assume. Porém, de desafios, o ministro parece compreender bem. E talvez o mais importante: como atacá-los. Afinal, Rodovias&Vias assim percebe, pela experiência que teve ao conversar exclusivamente com ele na edição 131, publicada em meados de 2022, quando ainda respondia pelo seu segundo termo à frente da sua bem-sucedida gestão no governo Estadual, que inclusive, além dos problemas inerentes à qualquer administração executiva pública, ainda enfrentou (com bons resultados, diga-se) uma Pandemia, nunca é demais ressaltar. O fato é que o seu amplamente bem avaliado governo, foi capaz de, com responsabilidade, higidez fiscal, boa gestão financeira e modernas práticas de gerenciamento, captar e fazer fluir investimentos precisamente no nevrálgico segmento de infraestrutura, sem surpresas, obtendo em contrapartida, um ampliado, melhor e mais eficiente sistema modal de logística e Transportes que ele deixou como legado a seu Estado. Sua conhecida capacidade de articulação, deve portanto, tornar-se um elemento chave para que ele possa exercer a influência necessária no ambiente ministerial, de modo a fazer chegarem recursos sufi cientes para que ele possa efetivamente trabalhar (outro item ticado na grande lista de predicados por ele possuídos).


PRIMEIROS MOVIMENTOS


Sem perda de tempo, Renan Filho já deu alguns indicativos importantes do seu perfil gerencial, sinalizando claramente à um mercado indócil, o que esperar de sua gestão. Apresentou, logo nas primeiras semanas, seu “Plano 100 dias”, um pacote de ações que deve ter efeito dentro dos primeiros 100 dias do novo Governo, incluindo ações emergenciais em rodovias Federais que sofreram com a estupenda temporada de chuvas testemunhada pelo país, especialmente na região Sul, novas rodadas de concessões em Estados que já haviam iniciado a estruturação de seus ativos para tal objetivo, como o Paraná e Minas gerais (este último ainda não anunciado, mas que suspeitamos, o será em breve), e um ambicioso movimento para revitalização e intensifi cação de obras para incrementos no modal ferroviário (neste quesito, absolutamente alinhado, por exemplo, ao que foi expressamente manifestado como prioridade pelo presidente do Consórcio dos Estados do Nordeste – Consórcio Nordeste – João Azevêdo, entrevistado com exclusividade nesta presente edição). Firme. Claro. Objetivo. Dinâmico. Registrando essas prerrogativas fi nais do novo ministro, a equipe editorial e todo o time da Central de Jornalismo da revista Rodovias&Vias, expressa seus votos de uma boa trajetória para ele nos próximos anos.

10 visualizações0 comentário

Yorumlar


bottom of page